29 novembro, 2021

Produção de setembro é 21% menor do que em 2020

Pressão dos custos e falta de insumos levou Anfavea a rever suas projeções acerca do indicador

A produção de veículos no acumulado do ano até setembro somou 1,649 milhão de unidades no País, apontou balanço da Anfavea divulgado na quarta-feira, 6. O resultado representou alta de 24% ante a produção registrada no janeiro-setembro do ano passado. Apenas em setembro saíram das linhas 173,2 mil veículos, um volume 21% menor do que o registrado em setembro de 2020 e 5,6% maior do que o de agosto.

O volume consolidado é visto pela entidade que representa as fabricantes como um cenário positivo, ainda que haja um certo ar de preocupação acerca do abastecimento de componentes, cujo desequilíbrio que persiste na cadeia tem afetado as linhas de muitas montadoras, que passaram a promover paradas na produção com regularidade.

“Não é uma questão de demanda, pois há represamento de pedidos e filas de espera. É uma questão que envolve um quadro global de falta de insumos, refletindo em toda a indústria”, disse o presidente Luiz Carlos Moraes durante transmissão online. Os estoques intermitentes de alguns componentes, assim como a pressão dos custos logísticos e de insumos, levaram a Anfavea a rever as suas projeções para o ano.

No caso da produção, a entidade em sua última projeção apontava para um volume de 2,4 milhões de unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e chassis de ônibus. Agora, diante da situação, a Anfavea reproduziu dois cenários.

No primeiro, se a produção média mensal no quarto trimestre chegar a 160 mil unidades, a produção projetada para o ano é de 2,1 milhões de unidades. Se o resultado se confirmar, haverá alta de 6% sobre o volume de veículos produzidos no ano passado. Se a média for de 190 mil unidades, a produção projetada aponta para 2,2 milhões de unidades, alta de 10% na mesma base de comparação.

“Nunca havíamos tido tanta dificuldade em enxergar o cenário em curto prazo na indústria automotiva. As incertezas para garantir a produção de veículos é grande com a crise de fornecimento global. Estamos presenciando uma procura por parte dos consumidores para compra de novos produtos, mas não temos unidades para atender à demanda”, contou Moraes.

Automóveis e comerciais leves

A produção de automóveis no acumulado do ano somou 1,2 milhão de unidades, alta de 16% sobre a mesma base do ano passado. O volume de comerciais leves, por sua vez, chegou a 273,3 mil unidades, alta de 46,5%.

No caso dos caminhões, a produção no acumulado do ano chegou a 118,3 mil unidades, um volume que representa crescimento de 103% sobre a produção registrada no janeiro-setembro do ano passado. Esse foi o melhor resultado para o período desde 2013. Já a produção de chassis de ônibus cresceu 5%, chegando a 14,5 mil unidades.

O nível de emprego no setor, em setembro, foi de 102.963 mil funcionários, patamar um pouco menor ao registrado em agosto, quando o setor empregou pouco mais de 103 mil trabalhadores.

Voltar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *