2 julho, 2022

Por que o histórico do condutor pesa no valor do seguro auto?

Tem gente que ao cotar um seguro auto fica indignado com o preço. Entretanto, houve um amigo dizer que conseguiu contratar o seguro por um valor baixo.

É bastante comum ficar sem entender porque existe essa grande variação quando o assunto é o prêmio. Isso acontece por diferentes fatores.

As seguradoras quando vendem um seguro calculam o risco. Se o modelo do carro é muito visado para roubo, se a pessoa sai para festas a noite, a experiência ao volante e outros. Cada um desses é avaliado e quanto maiores as chances de acontecer um sinistro, maior será o preço.

O peso do histórico do condutor

O histórico do condutor é algo que influencia bastante quanto a pessoa terá de pagar. Isso não fica difícil de entender quando se olha o risco.

Vamos supor que um motorista tenha diversas multas por imprudência no trânsito e já se envolveu em acidentes umas cinco vezes. Ao analisar esse perfil a seguradora entende que ele apresenta um alto risco, afinal, seu histórico não está a seu favor.

Quando for passar a cotação para esse possível cliente, a seguradora sabe que as chances de ter um sinistro são altas. Logo o valor será equivalente ao risco, pois ela não quer ficar no prejuízo.

Por outro lado, um motorista que não possui multa ou já recebeu uma no passado e não se envolveu em sinistros, é considerado bom condutor. A seguradora vê ele como sendo de baixo risco, afinal, não possui acionamentos de seguros anteriores e nem algo que o desabilite.

Nesse segundo caso, se for solicitada uma cotação é bem provável que o valor apresentado seja mais acessível.

É claro que o histórico do motorista pode mudar com o tempo. Conforme envelhece fica mais prudente e ganha experiência. Então, se jovem pagava alto o seguro, se melhorar ao volante, ao envelhecer pagará menos.

Como fica para os novos motoristas?

Uma dúvida bastante comum é para os novos motoristas, aqueles que acabaram de conquistar sua habilitação.

Nesse caso não existe um histórico do condutor. As estatísticas de trânsito apontam que motoristas jovens são os que mais se envolvem em acidentes. Além disso, a maior parte deles são homens.

Como não se conhece o histórico e as estatísticas mostram alto risco, o valor do seguro auto será elevado.

Nesses primeiros anos, o motorista pagará caro, mas se mostrar para a seguradora que possui prudência e não se envolve em acidentes pode se beneficiar. Quando sair da faixa de risco, após os 25 terá um histórico positivo, isso pode resultar em um seguro auto acessível.

Como reduzir o valor do seguro auto pelo histórico de condução de veículos?

Existem diferentes formas de reduzir o valor do seguro. Escolher coberturas mais simples, optar por carros menos visados em roubos, ter equipamentos de segurança, etc.

Em relação ao histórico do condutor, esse é mudado ao longo do tempo. Motoristas que já se envolveram em sinistros, tendem a pagar mais do que os que nunca se envolveram. Quem sempre teve um bom histórico deve ter o cuidado de mantê-lo dessa forma.

Já quem é estressado no trânsito ou dirige com imprudência deve buscar ajuda. Existem muitos especialistas no sistema público de saúde e particular, inclusive, o plano de saúde oferece psicólogo, o que pode ajudar o condutor a manter a calma e evitar situações que resultem em acidentes.

Uma autoescola para pessoas já habilitadas dará dicas de como se comportar no trânsito. Aulas de direção defensiva ajudam a manter a atenção e evitar situações desagradáveis.

O importante é que o motorista tenha atenção a seus hábitos de direção. Afinal, isso influencia muito para pagar menos no seguro. É claro que isso pode levar um tempo quando a história não está a favor.

E não pense que as seguradoras não sabem disso. Até mesmo para motoristas que já contam com o seguro de carro, o histórico do condutor pesa.

Isso porque as seguradoras possuem classe de bônus, uma pontuação que se ganha quando se renova a apólice do seguro. A cada ano sem registro de sinistros é somado um ponto, por exemplo. Quando acontece um evento de sinistro com o o veículo, o caminho inverso é feito, e se retira um ponto.

Pela pontuação é possível conhecer melhor o histórico do condutor e fazer uma avaliação. Mesmo mudando de segurado essa pontuação é mantida, assim, todas elas podem fazer o acompanhamento.

O histórico do condutor influencia no preço que será pago no seguro. Nesse sentido, quem busca segurança e quer economizar, deve ficar atento ao volante.

Voltar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.