25 julho, 2021

Sabia que você pode ter contratado um falso seguro ?

Muitas pessoas não sabem, mas ao contratar a proteção veicular elas estão correndo um sério risco de ter seus direitos violados.

Aquela proposta de “seguro” com preço muito acessível, milhões de promessas e de falas convincentes podem na verdade estar escondendo por trás uma armadilha muito grande para o consumidor. As proteções veiculares como são chamadas esses falsos seguros oferecidos pelas Associações e Cooperativas não possuem qualquer garantia que o seguro tradicional possui e tão pouco é regulamentado por órgãos do governo que possui leis rigorosas de defesa do consumidor.

Se essas associações e cooperativas falirem, ninguém consegue acha-las e se achar, não consegue punir os administradores, pois estes não são regulados pelo mercado, consequentemente você não terá seu dinheiro de volta. Não fique com esse risco em suas mãos. 

Quem vende esse tipo de seguro na verdade não pagam impostos e vale também lembrar que elas não possuem qualquer tipo de fiscalização, parâmetros do mercado, equipe especializada, responsabilidade com a solvência e liquidez para pagamento do sinistro.

O seguro só pode ser vendido por corretor de seguros que busca entre as seguradoras existente no mercado, o melhor seguro para as suas necessidades. As empresas possuem forte fiscalização do órgão regulador do mercado para justamente proteger você dos riscos de má solvência por parte da seguradora. 

Para descobrir se um seguro é ou não legalizado, verifique se a empresa que o oferece possui registro de seguradora na Susep. Porém, não basta estar cadastrada. Você ainda deve conferir se a situação dessa empresa é regular.

Pesquise as condições gerais do seguro

Outra dica importante é buscar no site da empresa as condições gerais do seguro automóvel ofertado. Nesse documento, constam todas as regras do contrato: tempo para indenizar (que, geralmente, não é informado pelas cooperativas), riscos excluídos, coberturas ao veículo segurado, etc. 

Além disso, as condições gerais possuem o número do processo Susep, que também pode ser consultado no site do órgão. Acesse “consulta de produtos” em “planos e produtos”, para verificar se está ativ

Se, durante a propaganda do seguro, houver menção às palavras cota e rateio, fique atento, pois nenhum seguro registrado na Susep utiliza essas expressões. 

O rateio nas cooperativas é um valor variável que serve para a associação arcar com os prejuízos dos carros que pertencem ao grupo solidário, ou seja, ao grupo de pessoas que faz parte da associação. E o montante gasto durante o período é somado e dividido entre os associados através de suas cotas, divididas de acordo com o valor do veículo.

A última dica é que o consumidor é livre para contratar e desistir de um seguro a hora que bem entender. Em contrapartida, em um falso seguro, as associações costumam exigir tempo mínimo de permanência de, no mínimo, seis meses. Esse prazo tende a aumentar, caso o associado usufrua de algum benefício (indenização).

Saiba mais sobre as soluções da CorrectData: www.correctdata.com.br

Como reconhecer um falso seguro?

Ao contratar a proteção veicular em vez de um seguro auto legítimo, você corre o sério risco de ter seus direitos violados e ficar no prejuízo.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *