novembro 29, 2020

Chassi adulterado? Veja o que fazer para recuperar o carro!

Se você acompanha os noticiários, já ouviu falar de casos de chassi adulterado. O número do chassi é composto de 17 caracteres que dizem tudo sobre o carro: área geográfica, fabricante, motor, carroceria, modelo etc. A sua adulteração trata-se de um crime usado para falsificar informações sobre o veículo — exigindo uma série de cuidados na hora da compra.

Neste post, você entender como identificar um carro com chassi adulterado e quais são os cuidados que devem ser tomados para evitar esse problema. Vamos lá!

Como identificar um carro com o chassi adulterado?

O chassi adulterado é um dos problemas mais comuns entre fraudes em veículos. Em alguns casos, a numeração do motor e os documentos também são modificados. Assim que o automóvel é roubado, os criminosos fazem esse tipo de adulteração para que o carro se passe por um veículo regular em uma tentativa de diminuir a desconfiança das autoridades, dificultando a localização e a responsabilização dos envolvidos.

O chassi pode ser adulterado de diversas formas: raspagens, polimentos e até acabamentos falsos feitos em máquinas de usinagem de materiais. Por isso, é importante analisar o verso da chapa e verificar se não há diferenças na textura. O número pode ser identificado em várias partes do carro, como motor, abaixo do banco traseiro, assoalho do banco do passageiro e porta-malas. A numeração nos vidros serve de referência na identificação.

Como evitar a compra de um carro com esse problema?

Evitar comprar um carro com o chassi adulterado pode parecer uma tarefa difícil, mas existem alguns pontos em que você pode ficar de olho. Veja a seguir!

Repare a placa do carro

A placa do carro é uma identificação do veículo registrada pelo Departamento Nacional de Trânsito e que permite a pesquisa e o acesso às suas informações. Existem diversos aplicativos e sites que permitem a consulta do histórico do carro na web. O site do DETRAN, por exemplo, permite esse acesso, sendo útil para analisar pendências e verificar irregularidades. Trata-se de uma forma interessante e prática de verificar desde adulterações a roubos e furtos.

Também é importante verificar se a furação do lacre não apresenta sinais de adulteração. Procure ficar de olho nos furos, no lacre e no fio, além de verificar sempre se há sinais de rebarba; analise os valores do código da placa, marcados no metal, e veja se não há contradições.

Verifique o Odômetro

O odômetro é a parte que registra a distância percorrida pelo carro. É o medidor que exibe valores de quilometragem no interior do painel do velocímetro. Ele também cataloga a quantidade de voltas de uma manivela ou borboleta. As versões analógicas funcionam a partir de um sistema de pequenas engrenagens e linguetas. Os digitais acompanham e fazem cálculos com base no giro das rodas.

Os odômetros analógicos podem ser alterados manualmente, voltando os valores de quilometragem. Os digitais também podem ser alterados, mas deixam registros de fraude. A maneira de verificá-los é por meio do uso de equipamentos especializados. Outra forma de fazer isso é verificando o desgaste das peças do veículo. Pedais, câmbios e acabamento do volante podem revelar sinais de que o carro foi usado mais vezes que o odômetro aponta.

Fique de olho na documentação

A documentação é um outro elemento que pode revelar sinais de fraude no veículo. É importante verificar o CRLV, Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo, porque é comum o roubo e a modificação dos documentos nas Ciretrans (Circunscrições Regionais de Trânsito).

Por isso, existem alguns métodos para verificar a autenticidade do CRLV. Repare nas inscrições em alto relevo no documento, verifique se há filigranas (traços coloridos) e friccione o documento para ver se encontra marcas de tinta. Vale também compará-lo aos outros CRLV’s para ver se há alguma diferença passou despercebida.

Observe o motor

O motor revela alguns dados técnicos na sua numeração. Geralmente, ela é registrada no bloco e pode dar pistas de que o carro foi adulterado: números desalinhados, marcas de soldagem, rebites e marcas de perfurações. Outro elemento a ser observado no motor é a etiqueta de identificação. Ela conta com o número do chassi e é igual às etiquetas que ficam na coluna e no assoalho. A cola mal distribuída pode revelar sinais de adulteração.

Faça uma vistoria

A vistoria é uma excelente forma de garantir a segurança na hora de transferir ou verificar alterações no veículo. Para fazer a vistoria, você vai precisar da carta de habilitação e do CRLV. Com a vistoria, você consegue analisar a procedência de diversos elementos de segurança do carro, como limpador de para-brisa, estepe, triângulo de sinalização, qualidade e desgaste dos pneus, cinto de segurança, retrovisores, faróis, vidros, escapamento, placa, motor e, principalmente, chassi.

Outro fator importante na vistoria é a confirmação de que o carro está sendo vendido por alguém autorizado. Desse modo, a vistoria evita vários problemas nesse tipo de transação e permite que o negócio seja fechado da melhor maneira.

Como recuperar o carro que teve seu chassi adulterado?

Em casos de chassi adulterado, é necessário recorrer às autoridades. Caso você tenha autorização, torna-se possível fazer a remarcação do chassi em estabelecimentos que tenham credenciais. No entanto, mesmo com a recuperação, há consequências para o veículo. Em alguns casos, o valor de venda do veículo é reduzido em 20% ou 30%, além de algumas revendedoras se recusarem a fazer negócios com esse tipo de veículo. Além disso, existem situações em que o chassi apresenta desgaste e sinais de ferrugem por efeito do tempo. Nesse caso, o processo de revitalização é similar.

Lembre-se de que é preciso ter autorização expressa do Departamento Nacional de Trânsito para que a remarcação seja feita de forma regular. Além disso, todos os débitos do carro devem estar em dia: multas, licenciamento, IPVA, entre outras.

É nesse contexto que a CorrectData pode lhe ajudar!

Assim como os demais produtos, a CorrectData também oferece uma ferramenta exclusiva chamada CRD Decodificador de Chassis, em que interpreta os 17 caracteres alfanuméricos do veículo conforme as características originais de fábrica do automóvel, moto ou caminhão em nível nacional.

Com essa ferramenta, você tem acesso rápido às informações cruciais sobre o veículo, identificando todos os dados de sua fabricação e origem, garantindo aquisições livres de riscos. Assim, você tem a certeza de basear suas decisões em uma empresa altamente especializada no ramo, com uma excelente reputação construída na base da ética e informação ao cliente.

Lembrando que a CorrectData é especialista em prevenção a fraudes junto ao mercado automotivo, com diversos módulos de dados e ferramentas para a análise de riscos.

Trabalhamos com sistemas inteligentes que capturam, automatizam e gerenciam as informações para uma tomada de decisão mais assertiva, eliminando os riscos envolvidos nas transações com veículos, consumidores e empresas.

Saiba mais em https://www.correctdata.com

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *